Você já sentiu isso?

Aquela sensação de ter estudado e lutado tanto, e ainda assim continua perdido, sem saber o que fazer, com a frustração tomando conta de tudo e sem esperanças de um recomeço?

Se você sentiu ou ainda sente, garanto que não é o único. Em pleno ano de 2019, com tantas informações e oportunidades disponíveis, ficamos sem saber o que fazer.

Aonde quer que a gente olhe, há uma infinidade de caminhos, de possibilidades, de disse me disse, de fulanos e beltranos dando palpites em nossas vidas e tentando ditar o caminho que devemos seguir para conquistar os nossos sonhos. 

Em meio a tantos ruídos, fica impossível silenciar a mente se a gente não der um grito de “BASTA” em toda essa enxurrada de informações e opiniões alheias que nos perseguem diariamente. Mais do que nunca é preciso parar, respirar, silenciar a mente (mesmo que seja um pouquinho a cada dia) e pensar: O QUE EU NÃO QUERO PARA MIM?

 Mas que tipo de pergunta é essa?

Já notou que quando você pergunta sobre o que quer, vem muitas respostas e você quer tanta coisa que acaba sem nada? Então, nesse caso a estratégia é fazer uma simples mudança na pergunta, porque vai ser mais fácil descobrir o que você não quer de jeito nenhum e, consequentemente fica mais fácil encontrar um caminho que te leve aonde quer.

Descartando o que não quer, fica mais fácil descobrir por onde começar, porque tudo que estiver relacionado ao que você não quer, será automaticamente descartado.

A grata e libertadora jornada do Recomeço…

Os recomeços são incríveis, encantadores, assustadores, estimulantes, necessários e um pouco dolorosos (dói ter que parar de remoer o que não deu certo e focar em descobrir quem somos, pois é a saída da zona de conforto).

Não é preciso esperar até ter certeza do caminho que quer seguir, apenas vá um passo de cada vez, engolindo as lágrimas e começando por se conhecer melhor ao responder à pergunta que citei há pouco.

Feito é melhor que perfeito! Isso quer dizer que devo recomeçar de qualquer jeito? De forma alguma! Só quer dizer que se você esperar as condições certas ou que tudo esteja perfeito para começar sua jornada, a chance de inventar desculpas e procrastinar é de quase 100%.

Vou confessar uma coisa: antes de escolher o tema desse artigo, eu estava quebrando a cabeça e pensando qual seria o assunto perfeito para o meu primeiro texto aqui no portal, e o resultado foi quase desistir de escrever, pelo menos até conseguir alguns temas e desenvolver vários textos (olha o medo mandando um “Oi, sumida”).

Mas, por que sufocar e adiar uma vontade tão latente que pulsa aqui dentro, só pelo fato de nem tudo está perfeito nesse momento? Deixei de lado as famosas desculpas, dei o primeiro passo rumo ao novo começo e voilà: cá estou!

Torço para que de alguma forma eu tenha ajudado você a virar a chavinha do recomeço, e que a pergunta chave – “O QUE EU NÃO QUERO PARA MIM? ” – seja o guia para um momento de reflexão quanto aos novos e surpreendentes caminhos que você pode trilhar.