Como aprender a lidar com a ansiedade pode impactar seus relacionamentos - Como aprender a lidar com a ansiedade pode impactar seus relacionamentos?

Nós, ‘millennials’ ou geração Y, somos um grupo de pessoas ansiosas. Tem muita gente acreditando que somos a geração mais ansiosa da história, com uma série de problemas causados pelo imediatismo

Com o foco voltado para a vida de aparências nas redes sociais, dívidas cada vez maiores e inseguranças com relação ao trabalho, não é surpresa que essa geração esteja cada vez mais recorrendo à terapia.

Por isso, aprender a lidar com a ansiedade pode ter um impacto muito positivo em seus relacionamentos.

Você se torna um melhor ouvinte

0?e=1581552000&v=beta&t=6nHqvu9HW geu49ryIE65pNaZRJmBi1rYuyGiHk J28 - Como aprender a lidar com a ansiedade pode impactar seus relacionamentos?

Apesar disso, encarar um processo contínuo de terapia não é uma decisão tão simples, já que insistimos em dizer que tudo está muito bem. Mas, a realidade é que a preocupação constante e a pressão por uma perfeição inexistente, tem desgastado o nosso psicológico.

É preciso dar uma pausa, pelo bem da nossa saúde mental, dos nossos relacionamentos pessoais e até mesmo profissionais. Digo e repito: a saúde mental pode afetar seriamente a forma como você interage com o outro. 

Quem sofre de ansiedade costuma ter dificuldades para expressar o que sente, o que dificulta as relações interpessoais. Existem sintomas e sensações que acompanham uma pessoa ansiosa, como, por exemplo:

  • Sentir enjoo ou pânico;
  • Formigamentos pelo corpo;
  • Tonturas e dificuldade de respirar;
  • Sensação de lutar contra algo que você não sabe o que é;
  • Dificuldades de concentração e foco.

Uma atitude importante em relação à ansiedade é a capacidade de compartilhar os medos, aceitar que existe hora e lugar para pensar nas suas preocupações – e provavelmente não será enquanto o seu amigo está desabafando sobre um problema do trabalho ou sobre a vida pessoal. 

Uma vez que você aprende a deixar os pensamentos um pouco de lado, se verá interagindo socialmente e de maneira mais confortável, proporcionando tempo de qualidade e atenção a todos ao seu redor. 

Disponibilidade para se concentrar no outro

Os transtornos de ansiedade tendem a voltar toda a sua atenção para si mesmo e costuma levantar questionamentos nada saudáveis:

  • Essa pessoa está com raiva de mim?
  • Eu disse algo errado nessa conversa?
  • Como minhas ações podem resultar em um resultado ruim? 
  • Será que sou engraçado ou inteligente o suficiente?

Quando nossos próprios problemas são deixados em segundo plano, fica muito mais simples desviar o foco para algo mais produtivo. Uma mente menos ansiosa tem liberdade para se concentrar em promover conexões genuínas e investir em relacionamentos produtivos. 

Baixando a guarda

Quando você para de focar nos momentos ruins do seu dia, é incrível como começa a reconhecer as coisas boas que acontecem. Deixar as pessoas entrarem na sua vida, se torna um processo natural.

Com a mesma frequência em que ocorrem momentos frustrantes, também conquistamos algumas vitórias, mas raramente damos atenção a elas porque preferimos focar no que deu errado, no fracasso.

Baixar a guarda significa que muito em breve você vai começar a colher as recompensas por ter adotado uma postura mais aberta e tolerante.

Você recebeu uma ótima novidade? Sua entrega chegou um dia antes? Reencontrou um amigo do passado? Comemora esses pequenos momentos, isso não é vergonhoso, pelo contrário.

 Você começa a dizer “NÃO” quando precisa

Aprender a priorizar sua saúde mental significa começar a praticar o autocuidado – dizendo “não”, de vez em quando.

Essa é uma habilidade complicada de aprender e que está em desacordo com alguns dos pensamentos automáticos e negativos que caracterizam os transtornos de ansiedade.

Embora quem sofre de ansiedade esteja mais propenso a evitar ambientes sociáveis, essa pessoa também pode sentir uma certa pressão para participar de eventos ou aceitar convites.

Além disso, priorizar dizer “SIM” às coisas que são genuinamente importantes para você significa que terá energia mental para permanecer focado e relaxado quando optar por socializar, tornando mais feliz e valioso o tempo que você gasta com as outras pessoas – que certamente notarão a sua mudança.

Não há problema em pedir ajuda

Quando você pede ajuda, percebe que várias pessoas ao seu redor também sofrem em silêncio, por medo da exposição e, normalmente é espantoso o número de amigos que passou ou ainda passa por problemas semelhantes.

Ser capaz de compartilhar a própria luta é algo libertador! Essa atitude fortalece e mostra que é possível encontrar um ombro amigo, compreensão e apoio quando procuramos por ajuda.

Por fim, seja grato!

Oprah disse uma vez:

 “Seja grato pelo que tem e você vai acabar tendo mais. Se você se concentrar no que não tem, nunca terá o suficiente”.

Olhe ao seu redor e veja tudo o que você conquistou. Lembra das pequenas vitórias? Então…

Respeite a sua história, suas lutas e sua trajetória. Só você sabe o que passou para chegar até aqui.

3 3 - Como aprender a lidar com a ansiedade pode impactar seus relacionamentos?
wrrtete - Como aprender a lidar com a ansiedade pode impactar seus relacionamentos?